segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O Movimento da Vida




Eu não sei se a vida é que vai rápida demais ou se sou eu que estou mais lento. O que sei é que ando me atropelando nos próprios passos.


Eu resolvi desacelerar. Eu vou no rítmo que posso.

Não é fácil. É sabedoria que requer aprendizado! Eu quero aprender.

O descompasso é a causa de todo cansaço. O corpo é rápido, mas o coração não. O corpo anda no compasso da agenda. O coração anda é no compasso do amor miúdo. O corpo sobrevive de andares largos. O coração sobrevive de pequenos passos e de demoras. Eu já fui e voltei a inúmeros lugares e o coração nem saiu do lugar.

O mistério é saber reconciliar as partes. Conciliar um ritmo que seja bom para os dois.

Eu quero aprender. Não quero o martírio antes da hora. Quero é o direito de saborear o tempo como se fosse um menino que perdeu a pressa. O show? Ah, deixa pra depois. A voz não morrerá. Acendemos as luzes noutra hora.
Há momentos em que a luz miúda nos revela muito mais que mil holofotes.

Chega de vida complicada. Eu preciso é de simplicidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário